Fake News sobre PIX

As instituições financeiras divulgam à exaustão as vantagens do uso do PIX mas andam circulando por aí algumas mensagens que podem ser Fake News. Veja a seguir o que é mito ou o que é verdade quando falamos de PIX.

  1. A Febraban vendeu os dados das pessoas para os agentes bancários, colocando CPF e n° do benefício do INSS?A especialista em Gestão Financeira, Odineia Silva, desconhece essa informação e acha pouco provável que seja verdadeira. João Escribano – Head de engenharia de software da a55 e membro de grupos de segurança da ABCD, ABFintechs e Febraban, também desmente o fato “O sistema PIX não compartilha dados com ninguém, somente durante o processo de pagamento/transferência”.

     

  2. É o fim do TED e DOC?
    A princípio DOC e TED vão continuar existindo. O PIX veio para somar. É uma forma de democratizar as transferências bancárias. Mas convenhamos… Se a pessoa física não paga taxas para fazer transferências com o PIX, por que usaria um serviço que cobra? Então, pode ser que futuramente essas modalidades de transferências pagas deixem de existir.
  3. O PIX é uma forma do IR controlar nosso dinheiro?
    Para Ralf Germer, CEO e cofundador da PagBrasil, não exatamente. “O Pix é um novo método de pagamento, criado para estimular os pagamentos digitais de forma instantânea e simples. É claro que, uma vez que as movimentações passem a ser mais digitais, são mais facilmente rastreáveis e passíveis de identificar possíveis irregularidades. Mas a ideia do PIX não é controlar o fluxo de caixa de cada pessoa ou empresa, e sim, além de agilizar as transações financeiras, criar um histórico de pagamentos que permitirá num futuro conseguir aprovações de crédito de forma facilitada, aliado ao Open Banking”.
  4. O papel moeda vai deixar de existir?Ainda é cedo para afirmar isso, até porque a realidade da população brasileira é desigual. Mas pode ser um grande passo para que aconteça futuramente. A diminuição do uso do papel moeda já é uma tendência mundial. Outros países já utilizam pagamentos digitais nos moldes do PIX: nos EUA existe o “zelle”, na Suiça o “swish” e na Espanha o “Bizum”.

     

  5. Se o PIX não tem taxas então não é tão vantajoso para o banco. Por qual motivo os bancos incentivam os clientes a fazerem o cadastro PIX?
    Na opinião da especialista em Gestão Financeira, Odineia Silva o maior objetivo dos bancos é reter e estreitar o relacionamento com o cliente. “Se o cliente escolher sua principal chave, como o número de celular, para uma determinada instituição, a probabilidade é que o cliente centralizará suas movimentações financeiras neste mesmo lugar. Consequentemente, o banco ganha com linhas de créditos, consignados, cartão de crédito, financiamentos, etc.”
    Além disso, o PIX é gratuito para o cliente, mas não para empresas.  Segundo os especialistas do site Papo de Balcão, “O dono do negócio pagará uma taxa para receber esses pagamentos instantâneos, que devem ser menores do que atualmente pagam”.

     

  6. Será que o PIX é menos seguro que DOC e TED?PIX, TED e DOC têm os mesmos índices de segurança. Todos eles possuem camadas de autenticidade e criptografia, além das camadas de segurança dos próprios aplicativos dos bancos, como senha e biometria.

     

  7. Se alguém tem meus dados como e-mail, celular, etc a pessoa consegue usar minhas chaves para fazer pagamentos em benefício próprio? Como o banco protege minhas chaves?
    Segundo os especialistas do site Papo de Balcão, “As chaves são utilizadas para receber pagamentos e não efetuá-los. Só poderão realizar transferências com PIX as instituições financeiras que seguirem todas as normas de segurança do Banco Central. Essas instituições irão operar o PIX quando comprovarem que mantêm as informações dos clientes seguras e que possuem ações de combate a crimes cibernéticos. Além disso, os sistemas vão precisar estar acessíveis integralmente, 24h todos os dias da semana, inclusive nos feriados. Em outras palavras, é necessário que as instituições garantam 100% de disponibilidade e segurança dos seus sistemas para que as transações sejam feitas”.Odineia Silva, especialista em Gestão Financeira, ainda garante que “ter somente o endereço de e-mail ou o seu número de celular não é o suficiente para usar as chaves. Cada cliente receberá, através de mensagem de texto ou no seu próprio e-mail, algumas confirmações que precisarão ser realizadas para concretização do cadastro da chave. Sendo que cada instituição poderá ter formas próprias para segurança do cliente”. 

    Portanto, dizer que quem tem sua chave poderá usá-la em benefício próprio trata-se de uma Fake News. Os dados do PIX são usados para receber. Se alguém possui alguma de suas chaves pessoais (CPF, celular, e-mail), essa pessoa não vai conseguir tirar um valor ou comprar algo em seu nome, ela só vai poder te pagar.

     

  8. É indiferente fazer PIX ou transferência comum entre bancos da mesma rede. 

    Se não houver taxa entre bancos, é mesmo indiferente. A vantagem do PIX é a agilidade e praticidade em não ter que digitar tantos dados. Basta uma chave!

 

Por Silvia Faro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Somos a

Favo

A Favo é uma empresa latinoamericana fundada em outubro de 2019 por Alejandro Ponce, no Peru. Com dois meses de operação em Lima, desembarcamos no Brasil sob o comando de Marina Proença pra sonhar ainda mais alto: vamos revolucionar a forma com que as pessoas fazem compras de supermercado, gerando renda pras famílias. 

A gente trabalha com quem sonha em empreender e tá sem grana pra investir. Acreditamos no poder das relações e que tudo pode ser mais justo quando nos unimos para gerar renda, economia e conveniência.

São muitos os que contam com a gente todos os dias, comprando ou vendendo nossos produtos. Conectamos pessoas e oportunidades, levando benefícios para os nossos parceiros e clientes, facilitando a compra online e simplificando a ida ao supermercado.

Sonhamos juntos e estamos todos do mesmo lado: quem compra, quem vende e quem faz essa relação acontecer.